terça-feira, 19 de novembro de 2013

Não sei se caso ou compro uma bicicleta...

Pensando bem, vou comprar a bicicleta, a manutenção é mais em conta! 
Só encher bem os pneus, passar uma graxa nos rolamentos...já casar, a manutenção é mais complicada, vou precisar de várias doses de paciência, muitos analgésicos, um tapa-olho para não enxergar tudo, uma cara de paisagem para cada dia do ano. 
Sem falar que a concorrência joga sujo, se utilizando de métodos escusos... 
A bicicleta pelo menos me leva para dar umas voltas e ainda por cima ajuda a queimar calorias... 
Tudo bem que no inverno não vou poder dormir de conchinha com a bicicleta, mas enfim, nada é perfeito...





Marlise Julião

domingo, 2 de junho de 2013

Foi-se o tempo em que bolsa, era apenas um adorado acessório feminino...







Foi-se o tempo em que bolsa, era apenas um adorado acessório feminino.


De tempos pra cá, virou objeto marqueteiro, eleitoreiro e cabide de parasitas espertalhões, que vivem nas entranhas desta terra abençoada por Deus e depenada pelos usuários das bolsas.
 Seguindo a linha da coleção de bolsas lançadas pelos estilistas governamentais, Bolsa Familia, Bolsa Crack, Bolsa Gás, Bolsa Cultura, ficamos no aguardo da Bolsa Salve-se quem Puder. Desde o primeiro lançamento, é público e notório os desvios feitos nos programas sociais do governo. Essa maneira totalmente errada, de “dar” o que comer, ao invés de ensinar como conseguir o que comer, tornam o povo dependente.
 Ao invés de usar do artifício de conquistar os menos favorecidos com esta verdadeira fábrica de bolsas, porque não é investido mais em educação e em cursos profissionalizantes, preparando os jovens e a mão de obra ociosa, que sobrevive as custas destes programas sociais. Sobram vagas nas empresas e nos setores de serviços, basta o sujeito ter um pouco de boa vontade e incentivo  na hora de profissionalizar-se.  
Antes, muito antes do lançamento destas bolsas, muito antes do lançamento do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) tínhamos jovens com sede de aprender uma profissão, com sede de empreendedorismo, sede  de formação acadêmica para obter melhores salários e qualidade de vida. 
Jovens que antes podiam trabalhar, agora são obrigados a ficarem na ociosidade. Leis estranhas, que permitem que um jovem de 16 anos, tenha discernimento para escolher seu presidente e seus representantes no senado, mas não permite que o mesmo jovem, possa trabalhar ou seja responsabilizado criminalmente. 
 Visão errônea, de quem ditou tais leis, que pune os pais que tentam educar seus filhos, educar através do trabalho e através do assumir responsabilidades. Gerações passadas, criadas na base do pulso firme, na época da varinha, não a varinha mágica que transforma bolsas em votos, mas a varinha que impunha respeito, a varinha dos pais, haja dito que: a criança que levava umas varadas dos pais, no futuro, jamais apanharia da polícia.
 Não estamos defendendo a violência, estamos defendendo a volta do bom senso, a volta da autoridade dos pais sobre os filhos. Sabemos de casos de extrema miséria que assola algumas regiões do país. Sabemos das mazelas escondidas nas sombras da caatinga. Mas sabemos também, que não é “dando de bandeja” que o povo alcançará a bonança. 
Não é através de bolsas que vamos curar a pobreza de espírito e de dignidade de um povo, não é através de bolsas, que vamos diminuir o consumo de drogas, tampouco não será através de bolsas, que teremos êxito sobre o fim da miséria, mas sim através de muito trabalho, suor e vontade.

Marlise Julião

domingo, 31 de março de 2013

Pàscoa!!!!





Qual é a mágica que acontece na Pascoa, que faz com que as pessoas mudem seu jeito de agir?Qual a explicação, qual a razão de as pessoas ficarem mais acessíveis, bondosas, solícitas e solidárias?Como se explica a transformação interior, que faz com que pessoas carrancudas, solitárias, mal humoradas e egoístas, mudem totalmente o seu jeito de ser?Quem é o responsável por essa mudança tão radical? Deus, o renascimento de Jesus, ou o Coelho da Pascoa traz em sua cestinha, uma poção mágica regeneradora?
Por que somente na época de Pascoa passamos a olhar os menos favorecidos com um olhar mais bondoso e condescendente, fazemos campanhas para arrecadar alimentos, doces e brinquedos para famílias e crianças carentes?
Por que nessa época passamos a enxergar e a cumprimentar as pessoas que passamos o ano todo ignorando, como aquela tia que não visitamos á meses, um colega de trabalho que jamais trocamos mais que duas ou três palavras, ou aquele vizinho, que mora ao nosso lado e que jamais paramos para retribuir pelo menos um sorriso?
Qual é a força maior que nos move nessas épocas, que nos torna tão afetuosos, tão família, que faz com que queiramos ficar junto a nossos pais, irmãos, filhos, avós, perto de quem mais amamos?
Por que somente nestas épocas sentimos mais vontade de dizer “Eu Te Amo”?
Por que somente nestas épocas sentimos tanta necessidade de pedir perdão a quem ofendemos, a quem magoamos e a quem fizemos sofrer?
Por que somente nestas datas sentimos essa descomunal necessidade de dar e receber amor?
Por que não somos assim nos outros dias do ano?
Só depende de nós, mas por alguma razão desconhecida, fugimos o tempo todo, mantendo a distância, toda e qualquer forma de sentimento afetivo, agindo como porcos-espinho, sempre na defensiva, afastando cada vez mais as pessoas...
A resposta é: nas datas como a Pascoa, o amor se torna palpável, nos permitimos amar, e por alguma razão divina ou cósmica abrimos nossos corações...
Todos os dias do ano, temos a chance, a oportunidade de sermos e de fazermos felizes a quem nos rodeia, basta apenas derrubar os muros emocionais que nos cercam e deixar que o amor entre...
Isso não nos torna fracos, mas sim muito mais humanos....

Boas vibrações e Feliz Pascoa para todos nòs ...


Marlise Juliao



sábado, 30 de março de 2013

Pascoa ....




Pàscoa não é apenas um feriado pra você curtir a praia ....
Pàscoa é muito mais do que tudo isso ...
Pàscoa é perdao, reflexao, renascimento…
Tempo de aparar arestas, de perdoar quem nos magoou, perdoar a nòs mesmos pelos erros cometidos, perdoar nossos tropeços, nossas injustiças...
Pàscoa é tempo de refletir sobre o nossas ações, sobre nossas escolhas, nossos caminhos ...
Pàscoa é tempo de agradecer cada pequena vitoria que obtivemos ...
Tempo de entender e respeitar as diferenças...
Pàscoa, é união, é família...
Pàscoa é arranjar tempo para abraçar e brincar com seu filho e dizer, eu gosto de você, tenho orgulho de você...
Pàscoa é olhar nos olhos da pessoa que você ama e dizer: eu aceito você, do jeitinho que você é, e obrigada por me aceitar com todos os meus defeitos...
Pàscoa é visitar os avòs, que há tempos você não ve, e receber aquele abraço quentinho, com perfume de amor...
Pàscoa é tempo de reencontrar velhos amigos, sentir a força de uma amizade através de um abraço...
Pàscoa é tempo de assumir o compromisso de vivermos como semelhantes...
Pàscoa é tempo de acreditar que tudo nesta vida tem um jeito de fazer dar certo, basta a gente querer...
Pàscoa é a data em que Deus nos da a chance de transformar tudo aquilo que temos de ruim em nossas vidas ...
Pàscoa é o tempo de acordar para a vida, que passa a passos largos, não deixe as magoas e o ressentimento, sufocarem seu coração ...


Feliz Pàscoa para todos nòs ...


Marlise Julião

sábado, 9 de março de 2013

Todo dia é Dia Internacional da Mulher Guerreira ....






Era uma vez um mundo onde as mulheres sempre se sentiam inferiores aos homens, e então elas lutaram...


Lutou Madre Teresa de Calcuta, com sua doçura, com sua dignidade, com sua majestosa vontade de cuidar dos mais humildes.
Lutou Zilda Arns, pelos fracos e oprimidos, lutou para devolver a vontade de viver , aos que mais necessitavam.
Lutou Maria Bonita, que ao lado de Lampiao, revolucionou o cerrado...
Lutou Joana Darc, contra exércitos inteiros, usando apenas sua espada e suas visões divinas.
 Lutou Anita Garibaldi, lutou por amor, com seu amor, lutou por seus ideais.
Lutou princesa Isabel, contra escravagistas a favor da liberdade.
Lutou Lady Daiana contra a opressão majestosa da sociedade britânica .
Lutou Leila Diniz, pelo direito a liberdade de expressão.
Lutaram as Marias e Clarices, todos os dias, madrugando para pegar ônibus e enfrentrar  quase dez horas de jornada de trabalho.
Lutam as enfermeiras, as garis, as donas de casa, as médicas, as faxineiras, as domésticas, as pedreiras, as professoras, as empresarias, as motoristas de ônibus, as costureiras, as advogadas, as mães ...
Lutaram por um mundo de igualdades, onde elas não precisariam ser submissas, lutaram para terem voz, lutaram para serem ouvidas, lutaram por equiparação salarial, lutaram pelo direito de mandar no próprio corpo, lutaram pelo direito de serem chefes de família, sem uma presença masculina, lutaram pelo direito de poder escolher uma profissão, onde antes somente homens ousavam pisar. Todas juntas, lutaram pelo fim da violência contra a mulher, lutaram pelo direito de dizer não, sem levar uma surra por isso.
Lutaram pelo direito ao voto, lutaram pelo direito a se candidatar a cargos dominados pelos barbudos, lutaram pelo direito de assumir seus relacionamentos alternativos, lutaram pelo direito a presença onde antes era simplesmente inadimissivel .
Algumas se tornaram símbolos desta luta.
Algumas se tornaram até presidentes.
Muitas se desvirtuaram, se perderam no caminho...
Algumas entenderam errado o sentido da palavra liberdade, e acabaram virando reféns.
Reféns  da ignorância , reféns da vulgarização dos corpos, reféns do toma-la-da-ca, reféns da vaidade, reféns da sexualidade exacerbida...
Perdemos todas nós  mulheres, que levamos anos e anos, pra conquistar alguns direitos, que levamos anos e anos para podermos andar de cabeça erguida e dizer, eiiii, nós estamos aqui, somos capazes, somos seres humanos, temos os mesmos direitos, não estamos aqui apenas para procriar, satisfazer os desejos masculinos, esfolar a barriga no fogão.
Temos capacidade, temos a força de constituir família, temos a força de gerar vidas, temos a força, de continuar levantando a cada rasteira da vida ...
Temos  força até  para superar o preconceito...

A  cobrança que paira sobre mães e esposas é muito grande, sem falar que , quando se vê obrigada a trabalhar fora para ajudar seus companheiros no orçamento, ficam divididas entre o papel de mãe, e o de trabalhadora.

E como fica o lado feminino da mulher, que tem que estar sempre linda ,cheirosa, bem humorada, com disposição e arrumada para seu amor?

O lado afetivo sempre é o mais afetado, nem todos os companheiros são compreensivos e nem todos aceitam dividir tarefas, tanto assumindo um compromisso maior na educação dos filhos , quanto tentando entender o quão difícil é a jornada dupla, ou até tripla, da mulher…


A princesa cresceu, e no lugar de sapatinhos de cristal ela usa sapatos de segurança...


Marlise Julião

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A insustentàvel leveza de caráter


A insustentàvel  leveza de caráter

Sempre tivemos duvidas a respeito desta questao, se carater è fruto de  hereditariedade, ou do ambiente em que fomos criados e convivemos.
Vemos cada vez mais verdades sendo distorcidas e a dignidade indo parar no ralo, pois a  ridícula cultura do brasileiro, de querer sempre se dar bem, sem esforço nenhum, esta enrustida em nosso âmago, e infelizmente, nossos jovens tendem a seguir esses exemplos.
Quantos de nossos jovens se perderam na dura vida do tràfico, na ânsia de enriquecer com a falsa ideia de que podemos vencer na vida sem qualquer esforço, na ilusão de que caráter tem preço, na falsa ideia que uma roupa de grife  cobrira a falta de estudo e a retidão de princípios.
Como podemos explicar para nossas crianças, que o “modus operandi” de alguns de nossos políticos é totalmente inadequado, que tomar posse do que não é nosso é algo gravíssimo, é roubo, passível de cadeia, e baseado em que falaremos isso, se todos nòs sabemos que na grande maioria das vezes,  ladroes de colarinho branco,  não vão  para a cadeia, que a força da lei alcança somente os ladrões de galinha. Como podemos ensinar aos nossos filhos tais princípios, se na contramão da educação paterna, vemos programas de televisão, onde caráter e honestidade passam longe.
Um programa de televisão, onde um  pais todo  para pra espionar fantoches previamente escolhidos a dedo, protagonizado por mulheres gostosonas e seus  glúteos  polpudos, recheadas de silicone e malicia, juntamente com rapazotes bombados  com seus  hormônios a flor da pele, de gosto e caráter duvidoso.
A falta de dignidade passada em horário nobre, como nestas novelas, em que tudo é permitido em nome da vaidade, onde valores primordiais são deixados de lado, em favor do “se dar bem na vida”.
Causa-nos arrepios ver a maneira fútil com que a vida é mostrada através da TV.
Pra que estudar? Se todos os dias temos exemplos de jovens que viraram celebridades instantaneas, largaram seus estudos e hoje vivem da mídia negativa, da mídia que explora, suga e depois descarta feito lixo.
Como é árdua a vida dos pais e mães do século XXI, parabenizo aqueles que tem conseguido de maneira equilibrada educar seus filhos, numa época totalmente tomada pela comunicação via internet e televisão.
Pode parecer banal, mas pais que usam o controle remoto e mudam de canal, podem estar transformando futuro de seus filhos...
Saudade da infância inocente, sem dúbias verdades, saudade da TV feita para entreter e não erotizar, saudade das estórias contadas por nossos avòs a beira dos fogões a lenha, saudade do tempo em que crianças de doze anos se preocupavam apenas em brincar e estudar, saudade da velha e batida frase e  “eles foram felizes para sempre”....

Marlise Juliao


sábado, 12 de janeiro de 2013

Perspectivas




Perspectivas




Se fossemos analisar a numerologia, de acordo com os mais pessimistas, teoricamente  ou cosmicamente falando, estariamos  no ano do “azar”, afinal  estamos em 2013.
Sendo eu da turma do contra,  acredito que 2013 sera um ano de muitas possibilidades .
Não é uma data, ou um numero, que fará com que nossos dias sejam espetaculares ou um caos.
Mais do que qualquer outra coisa, o sucesso  esta ligado ao nosso bem estar e   paz de espírito.
Possuimos uma fonte geradora de energia positiva, de poder inimaginável.
Cada pessoa tem um ponto“G”,  não me refiro aquele famoso ponto feminino, mas a um botão liga/desliga, e que nos faz “funcionar”, chamado auto-estima.
Muitas vezes esse botão é travado, por fatores emocionais, fatos passados, e que ficam la, emperrado, podando nosso crescimento pessoal e profissional.
Passamos a culpar e a responsabilizar o nosso insucesso, aos números negativos, ao  nosso horóscopo,  ou aquele nosso amigo(a) invejoso(a), quando na verdade, tudo isso, são fatores que jamais nos influenciariam, se estivessemos com nossa auto estima em dia.
Boas vibrações a todos nos!

Marlise Julião 

O amor ao alcance de um clique.




O amor ao alcance de um clique.

Dentre as muitas faces do amor moderno, sem duvida, as que mais se destacaram, cresceram  e ganharam adeptos, foram os namoros atravès das redes sociais.
Pipocaram sites de relacionamentos, onde com um simples clique, voce encontra o amor de sua vida. 
Mas que maravilha!!! Bingo!
Grande visionário, criatura geniosa, quem reinventou  a maneira de amar, que consegue fazer, o que nem Santo Antonio, macumba, ou seja la a mandinga que for, desencalhar moçoilas sofredoras, que ha décadas esperavam por "príncipes" encantados.
Maravilhas tecnologicas, como o photoshop, maquinas digitais, celulares de ultima geraçâo, tomaram o lugar de velas, terços e simpatias.
 Quando acessamos estes sites de relacionamentos, vemos perfis, com mocinhas,senhoras e pasmem, até homens fazendo biquinho, olhinhos sonhadores, em fotografias tiradas nos mais diversos angulos, e que deixam até um celibatário e moças recatadas com a cabeça nas nuvens.
 Ora pois, Santo Antonio agradece o sossego, e se livra de ficar dias de pernas pro ar.
Porem, na contramão dessa moderna forma de amar, descobriu-se um problema ainda maior que mocinhas encalhadas e seres solitários.
Traiçoes cibernéticas escancaradas perambulam pelas fibras óticas mundias,  desnudando perversões reprimidas a séculos.
Casamentos acabados, famílias desestruturadas, sem falar nos pervertidos.
Sofremos um pandemônio de emoções e pagamos altíssimos preços por essa prazeirosa banalização do amor.
O “Eu te amo”, virou clichê barato, propagado aos quatro ventos.
Não nos sentimos a vontade para dizer  “eu te amo” para pessoas de carne e osso, como nossos irmãos , pais e amigos, mas dizemos “eu te amo” para pessoas que vemos através de gélidos monitores de 17 polegadas.
Sem parecer nostálgica ou démodé, ou tampouco entregar a idade de ninguém, mas que saudade das cartinhas perfumadas, dos platônicos e sofridos amores, que demoravam anos a serem declarados, mas que vinham acompanhados de uma emoção avassaladora.
Que me perdoem os moderninhos mas, olho no olho , mãos tremulas e coração palpitando, ainda é o melhor jeito de amar...

Marlise Julião

Sexo é bom....Sexo com amor ,melhor ainda .....

Blog em construção......

Páginas

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Estudante de Letras, engatinhando no universo literário ....